Saturday, April 23, 2016

Fome / Michael Grant

Sinopse:

Todos têm fome, mas ninguém se dispõe a encontrar uma solução. E a cada dia que passa são mais os jovens que sofrem mutações e adquirem capacidades sobrenaturais, que os distinguem dos que não têm esse género de poderes. A tensão cresce e o caos reina na cidade. São os «normais» contra os mutantes. Cada um, luta por si, e até os melhores são capazes de matar. Mas avista-se um problema ainda maior. A Sombra, uma criatura sinistra que vive soterrada no coração das montanhas, começa a chamar alguns dos adolescentes da ZRJ. A chamá-los, a guiá-los, a manipulá-los. A Sombra despertou. E tem fome. 

Opinião:

O segundo volume da série "Desaparecidos" não me desapontou! A acção continua a decorrer a um ritmo frenético, e por isso não houve um único momento em que me sentisse aborrecida. É como se estivesse a ver uma série de televisão ao estilo"Lost", consigo mesmo visualizar tudo na minha cabeça como se olhasse para um ecrã.

Continuaram também os arrepios pela situação vivida na Zona Radioactiva Juvenil, onde a fome aperta e todos começam a ficar desesperados. Porque já se sabe, casa onde não há pão...

Curiosamente, e porque muitas vezes, com a pressa, tive de me meter no autocarro sem tomar o pequeno almoço, o roncar do meu estômago esteve em sintonia com a história :D

Muito bom! Segue o terceiro volume, o último publicado em português. Os restantes 3, em edição inglesa, já vêm a caminho através da Wook. 

Weeeeeeeeeeeeeeeeeeeee!

.......................................................................................................
GRANT, Michael

Fome / Michael Grant; trad. Victor Antunes. - Lisboa:
Planeta, 2012. - 480 p. - (Desaparecidos; 2)

Literatura norte-americana -- ficção científica / Jovens adultos -- ficção

CDU: 821.111(73)-311.9


ISBN  978-989-657-189-4

COTA 82-311.9 GRA
............................................................................................................

Friday, April 22, 2016

Que nervos!

Presentemente, uma das coisas que mais me irrita é não conseguir ir sentada no autocarro. Porque são 40 minutos de leitura perdidos!

Mais me custa ver uma porradona de gente confortavelmente instalada nos bancos a fazer... coisíssima nenhuma! Que desperdício! A sério, só por isso acho que deviam ser criados lugares reservados a leitores. 

O que acham?

Friday, April 8, 2016

Fala, bibliotecária!

Conhecem a Gabriela Bazan Pedrão? Ela é bibliotecária no país irmão, tem um excelente sentido de humor e um canal de youtube onde fala da profissão.

Deixo aqui dois vídeos que deverão agradar a bibliotecários e ao público em geral. O primeiro é especialmente delicioso ;)

     

Wednesday, April 6, 2016

Portugal à frente (para variar um bocadinho)!

"O diretor-geral da Booktailors, Paulo Ferreira, desde há muito presença assídua em Bolonha — este ano estará na Feira Internacional do Livro de Bogotá, também este mês de abril –, não tem dúvidas: Portugal é do melhor que há lá fora quando o assunto é literatura infantil. “Faço aqui um desafio: que se encontre em Bolonha um país com tanta qualidade como Portugal. Não há. A Mafalda Milhões, a Catarina Sobral, o Bernardo Carvalho, o André Letria, o Afonso Cruz, o João Vaz de Carvalho, a Marta Madureira, entre outros, são uma geração de ouro do livro infantil. E o facto de eles serem tão bons, a mim facilita-me a vida como consultor editorial. Mal apresento um livro de algum deles, vendo-o. Na hora. Portugal está na ‘pole position’ da ilustração e do livro infantil”, garante".

O resto da notícia, aqui.

Friday, April 1, 2016

Desaparecidos / Michael Grant

Sinopse:

Tudo começa dentro de uma sala de aula quando, num piscar de olhos, o professor desaparece. Alarmados, os alunos saem da aula em busca do professor. É então que começam a perceber que todos os adultos desapareceram.

Desaparecidos, do escritor norte-americano Michael Grant, é um livro inquietante sobre um mundo em que não há adultos e onde a tecnologia não funciona. A fazer lembrar Harry Potter, Stars Wars e o Senhor dos Anéis, Grant estreia-se de forma auspiciosa no nosso país. São mais de 400 páginas de pura emoção e muita expectativa que se lêem num ápice. Num mundo tão diferente daquele em que vivemos, sem muitas das comodidades que deixámos de valorizar pelo facto de não conseguirmos imaginar a vida antes delas, Desaparecidos é um livro perturbante, emocionante e, acima de tudo, muito original.

Opinião:

Este é daqueles livros que valem não exactamente pela forma como são escritos, mas por contarem uma boa história. Ao longo das 455 páginas, nunca deixei de estar em pulgas, e muitas vezes fiquei arrepiada com os acontecimentos mais macabros, sobretudo porque sinto que era completamente provável que as pessoas se comportassem daquela maneira perante tal situação. Parece-me que o autor tem um conhecimento profundo da natureza humana, residindo aí o sucesso do livro. Gostei da forma como, nesta situação de perigo e incerteza, vão surgindo os heróis, os vilões, os rufias e os cobardes. Adorei!

A parte boa é que a biblioteca onde trabalho tem o 2º e o 3º volume. A parte má é que os seguintes 3 volumes não estão publicados em português (lá terei de encomendar os exemplares em inglês na Fnac!).

4 estrelas! E sigo já para o segundo volume!

.......................................................................................................
GRANT, Michael

Desaparecidos / Michael Grant; trad. Victor Antunes. - Lisboa:
Planeta, 2012. - 455 p. - (Desaparecidos; 1)

Literatura norte-americana -- ficção científica / Jovens adultos -- ficção

CDU: 821.111(73)-311.9


ISBN 978-989-657-077-4

COTA 82-311.9 GRA
............................................................................................................