Thursday, August 6, 2015

Oksa Pollock: a inesperada / Anne Plichota e Cendrine Wolf

Este livro chegou-me às mãos enquanto catalogava. Na capa, reparei no autocolante onde se lê "O Harry Potter francês. The Guardian". É claro que mal o registo tinha acabado de ser criado, e já estava o exemplar a ser emprestado na minha ficha!
Aos 13 anos, Oksa Pollock descobre que tem poderes especiais. A partir daí, toma conhecimento das origens nada convencionais da sua famíla, ligadas a Edéfia, "um mundo invisível oculto algures no planeta terra", do qual foi obrigada a fugir depois de instalado "o grande caos". Em Oksa reside a esperança de regresso a casa dos exilados de Edéfia, assombrada por Oxcius, que deseja não só dominar Edéfia como também o mundo.
Mas vamos agora à minha opinião (porque odeio descrições demasiado pormenorizadas que estragam a surpresa). Temos os clássicos universo paralelo / inimigo mortal e, embora me tenha irritado com a fénix (que diabos, arranjem-me outro animal mitológico que este já está mais do que esmiuçado), e tenha achado que era completamente inverosímil que a rapariga se deixasse ficar sozinha numa sala com o vilão quando podia claramente pisgar-se, a leitura foi agradável, tendo até por duas vezes deixado passar a paragem onde deveria ter saído por estar tão distraída a ler no autocarro. Gostei especialmente das criaturas de Edéfia, tão queridas, patetas e cómicas que até apetece ter duas ou três em casa.

O problema das sagas é tropeçar nelas quando ainda não estão completas. O primeiro livro foi publicado em Portugal em 2013 e o segundo ainda está por sair. Recorrer à versão original está fora de questão, que o meu francês não dá para tanto. Portanto, das duas, uma: ou compro uma edição inglesa, ou espero pela portuguesa.

É um bom livro para quem gosta do género. Não é nada de extraordinário, mas lê-se bem.

2 comments:

Catarina Cipriano said...

Já há previsão para os próximos lançamentos?

Minerva McCoruja said...

Que eu saiba, não. E sinceramente, tenho a impressão que poderá não haver continuação por cá, isto tendo em conta que houve apenas uma edição em 2013 que ainda não esgotou :(