Friday, July 31, 2015

: )


Não fiz os trabalhos de casa porque... / Davide Cali, com ilustrações de Benjamim Chaud

Quem é que nunca chegou às aulas com os trabalhos de casa por fazer? Confesso que não me aconteceu assim tantas vezes, mas apenas porque tinha medo de ouvir um raspanete.

Porém, quando a memória falhava ou a vontade de estudar se ausentava, com a consciência a pesar, arranjava maneira de escrevinhar qualquer coisa nos intervalos antes das aulas começarem. Como imaginam, não fazia nada de brilhante, mas sempre dava para safar.

Este é o livro certo para quem se deixou dominar pela preguiça e está com a imaginação em baixo no que toca à invenção de desculpas. Deixo-vos as minhas favoritas:

"Tive de ajudar o meu tio a construir uma hipermáquina-de-fazer-trabalhos-de-casa-por-mim, mas depois ela não funcionou".

"Ficámos sem lenha, por isso sacrifiquei os meus cadernos da escola para nos aquecermos".

"Fui raptado por um OVNI".

Com desenhos em tons pouco habituais no que toca à ilustração infantil, são bem do meu agrado, pela criatividade, pelo detalhe e por fazerem lembrar o universo gótico.

Recheado de disparates que dificilmente encontrarão aceitação, é com certeza um livro capaz de provocar uma gargalhada a cada página!

Thursday, July 30, 2015

Capital / Afonso Cruz

Só para irritar quem acha que a narrativa visual não é literatura, inauguro este espaço com o livro de Afonso Cruz, "Capital", que acaba de vencer por unanimidade o Prémio Nacional de Ilustração 2014.

Confesso que foi um livro que mexeu comigo, sobretudo tendo em conta a época de crise que vivemos, motivada pela ganância dos bancos.

Sem recurso à palavra, o autor leva-nos numa viagem que se inicia com a oferta de um mealheiro em forma de porquinho a uma criança, que acabará inevitavelmente por se tornar num adulto ambicioso, ávido de dinheiro e poder.

Excelente para reflectir sobre a educação baseada no materialismo, que parece ganhar adeptos de forma alucinante. Talvez sem querer, passamos a mensagem de que é preciso ser melhor do que o outro para se ser bem sucedido, ter um bom emprego e um bom ordenado. Infelizmente, ficam para segundo plano valores como o amor, a amizade e o respeito não só pelos outros como pela própria natureza.

A provar que uma imagem vale por mil palavras. E que não "vale tudo" por dinheiro.


Este é dos bons!

Nunca tive grandes conhecimentos de literatura infanto-juvenil, nem significativo contacto com crianças, há muito em falta na família. Quando "aterrei" na sala dos garotos, senti-me um pouco perdida, uma vez que pais e educadores vinham pedir-me sugestões de livros sobre os mais variados assuntos. Felizmente, a biblioteca onde trabalho adoptou uma política de indexação da literatura. No entanto, considero que conhecer minimamente a colecção é sempre uma mais valia, até porque nem sempre o trabalho do catalogador é acertado. Decidi então ir lendo, sempre que possível, o que me passava pelas mãos.

Agora que tenho um bebé de 13 meses, que começa já a demonstrar interesse nos livros cartonados, mais vontade tenho de encontrar bons livros que possa ler em voz alta ou, quando for maior, recomendar-lhe.

Porém, ao folhear os livros, apercebi-me do seguinte: ou estava a ser muito esquisita, ou havia uma grande quantidade de lixo a ser escrita.

Passados 2 anos, continuo a achar que há livros sem piada nenhuma. No entanto, tenho encontrado outros tantos aos quais reconheço grande qualidade. E é sobre esses que irei falar aqui, na rubrica "Este é dos bons!".

Segue dentro de pouquíssimo tempo a primeira crítica!